Roteiro no Deserto do Atacama

12 Passeios Imperdíveis – Roteiro no Deserto do Atacama

Adoramos compartilhar nossas experiências de viagens com amigos, mas a pergunta mais difícil de responder é “do que vocês mais gostaram?”. O quanto apreciamos algo é muito subjetivo e pessoal, mas contar com dicas de quem conhece bem o lugar sempre ajuda no planejamento. Sugerimos este roteiro de 5 dias no Deserto do Atacama por ser o período mínimo necessário para aproveitar o melhor da região. Antes de definir quais passeios fazer, leia o guia completo para  planejar com sucesso sua viagem para o Atacama.

 

Começando por San Pedro de Atacama

Se possível, aproveite o dia de sua chegada se acostumando com o deserto passeando pelas ruas de terra batida de San Pedro. Conheça as agências de receptivo e contrate os passeios, se for o caso. Na rua Caracoles é de agências com jovens de todos os cantos do mundo tentando recrutar viajantes em busca de um roteiro no Atacama.

O idioma não será um impedimento para encontrar um receptivo. Falam todas as línguas que precisar e há muitos brasileiros trabalhando no atendimento destas empresas. É bacana ver a concorrência entre eles, mas também a parceria, se ajudando para atender aos turistas. Uma boa pedida é agendar a ida ao Valle de la Luna na primeira tarde para aproveitar o pôr do sol.

 

Roteiro de 5 Dias no Deserto do Atacama

Fizemos um resumo dos passeios mais importantes abaixo, mas se quiser mais informações sobre cada um deles, clique nas fotos ou links para abrir os artigos com imagens dos passeios  recomendados.

Dia da Chegada

Valle de la Luna e Valle de la Muerte

Passeios mais clássicos do Atacama, estes dois pontos ficam bem próximos de San Pedro, a apenas 3km. É possível fazer o tour com uma agência local ou por conta própria, de carro ou bicicleta.

Esta região foi banhada pelo oceano há alguns milhões de anos e por isto ainda há vestígios de sal nas formações rochosas. Descobrimos isto ao passarmos por uma caverna muito estreita e escura, um dos pontos mais visitados do vale. Se não for claustrofóbico e aceitar o desafio, deixe mochilas e câmeras fotográficas profissionais no carro. Será mais fácil encarar se estiver apenas carregando seu celular.

Valle de la Muerte

Pare em vários pontos antes de chegar ao Valle de la Muerte para fotografar. Ao final, chegará a dunas maravilhosas, mas que não deverá caminhar por elas. A areia da região é muito densa e seus passos ficariam marcados por muito tempo. A origem do nome do vale é explicada de várias formas, sendo a mais provável que os primeiros exploradores tenham encontrado esqueletos no local na década de 50. Imaginaram que o vale era o local para onde idosos e doentes iriam para morrer.

Valle de la Luna

Esta é uma região bastante árida, com dunas e formações rochosas em vários tons de laranja e marrom. O nome foi inspirado em sua superfície, que lembra as fotos da superfície lunar. Tanto é que a Nasa realizou alguns testes no local para os equipamentos não tripulados enviados à Marte.

O pôr do sol mais concorrido é na Pedra do Coiote. Você verá muitas fotos tradicionais de pessoas sentadas nesta enorme pedra, à beira de um precipício, no entardecer. Atualmente a pedra está isolada e não é mais permitido subir, pois foram encontradas rachaduras em sua estrutura.

É o passeio perfeito para começar a explorar a região e se deixar apaixonar pelo Atacama. As agências cobram entre US$22 e US$40, dependendo do que estiver incluso no passeio. A taxa de conservação ambiental a ser paga na entrada custa CLP 3.000 (US$ 4,80) para o Valle de la Luna e CLP 1.000 (US$ 1,60)  para o Valle de la Muerte. Os ingressos devem ser pagos em dinheiro e em moeda local.

 

 

Uma viagem ao Atacama tem algum risco devido à altitude. É sempre bom viajar com um Seguro Viagem para se proteger. A Seguros Promo irá  oferecer as opções mais adequadas a sua necessidade.


Seguros Promo

 

 

Dia 1

Lagunas do Atacama

O passeio às Lagunas do Atacama levará o dia todo, para que possa aproveitar bem a beleza de cada uma delas. Ficam relativamente próximas a San Pedro, em um raio de 30 a 60km. 

Laguna Chaxa

Apesar de ser a mais distante, tente ir bem cedo para a Laguna Chaxa para admirar os flamingos se alimentando de pequenos crustáceos presentes na lagoa Um dos cartões postais mais tradicionais do Atacama, Chaxa fica a 60 km de  San Pedro. Veja as fotos abaixo e pense em quantas vezes já viu esta lagoa rasa, com alguns flamingos, o vulcão nevado ao fundo e vegetação rasteira em tons pastéis? O lugar é muito bonito e deve ser visitado no amanhecer ou no pôr do sol, quando a presença dos flamingos complementará o belo cenário. Por ficar na Reserva Nacional los Flamencos, cobram US$ 5 de entrada a título de taxa de preservação.

 

Laguna Cejar

Pertinho de San Pedro, a Laguna Cejar fica a apenas 30km e muitos vão até lá de bicicleta. Chegar de carro é bem fácil e tem estacionamento no local. O visual é incrível e muito fotogênico, como em todos os passeios pela região. Lagunas de azul intenso e bordas brancas pelo sal emolduradas pela vegetação rasteira, além do vulcão Licancabur complementando o cenário. Porém, este é um passeio polêmico: enquanto alguns classificam como obrigatório, imperdível, ponto alto da viagem, outros decretam como “mico” das férias.

Passeio “Ame-o ou Odeie-o”

Também conhecida como o ˝Mar Morto Sul-americano“, quem ama destaca a experiência única de entrar em uma água com taxa de salinidade elevadíssima, comparável apenas à do mar em Israel. Como consequência, os corpos flutuam e a sensação é de relaxamento total. Mesmo que se esforce, você não consegue afundar mesmo.

Quem odeia diz que passa muito frio, pois a água é gelada mesmo no verão. Além disso, o sal fica impregnado e deixa uma camada branca na pele, que resseca até o pensamento (imagine seus cabelos!). Caso esteja com qualquer arranhão ou ferimento, provavelmente não vai aguentar ficar na água. Mergulhar ou molhar a cabeça também é desaconselhável, pois a alta salinidade faz arder olhos e lábios.

Há uma boa estrutura de banheiros e vestiários para os visitantes, mas a água dos chuveiros não é aquecida e as filas costumam ser grandes. O valor da entrada é de aproximadamente US$ 25 e poucos conseguem permanecer por mais de meia hora no lago.

Gostou das dicas? Deixe seu e-mail e seja o primeiro a saber das atualizações e novos destinos do Suas Próximas Viagens. INSCREVA-SE AQUI

Caso você resolva encarar, as agências cobram entre US$ 30 e US$ 50, de acordo com o pacote oferecido. A maioria faz este tour à tarde e combina com a visita a Ojos del Salar e Lagoa Tebinquiche.

Ojos del Salar

São duas lagoas profundas e de coloração azul muito escura. Próximas uma da outra, a diversão comum é tirar fotos com sua imagem refletida em suas águas. Se for corajoso poderá entrar na lagoa, mas é preciso se jogar no meio dela para evitar as margens e voltar nadando. Antes de se aventurar , fique atento para a ausência de estrutura a sua volta: nem banheiros, nem vestiário.

 

Laguna Tebinquiche

É um lago de sal com partes muito rasas, onde é possível caminhar. Em alguns trechos, o sal forma uma fina camada que espelha a paisagem a sua volta. Recomendamos que não utilize calçados ou tênis com solado delicado, pois podem estragar. O pôr do sol é um dos mais concorridos do Atacama.

 

Dia 2

Piedras Rojas e Lagunas Altiplânicas

Este é, para nós, o melhor passeio do Atacama. É um dos menos conhecidos e o que reserva o melhor cenário. Sabe aqueles lugares fotogênicos, onde todas as fotos ficam maravilhosas, sem levar em consideração a qualidade da câmera ou a habilidade do fotógrafo? Assim é Piedras Rojas e Lagunas Altiplânicas .

Piedras Rojas

Também conhecido como Salar de Talar, está localizado a 150km de San Pedro, com acesso através de uma estrada muito bem pavimentada. Você poderá ir através de uma agência ou por conta própria, com carro normal. O normal é gastar 2:40h no trajeto, mas se você gostar de parar para apreciar e fotografar, como nós, levará bem mais que isso.  Vai valer o atraso!

A mais de 4.000m de altitude, a beleza do lugar é indescritível! Como único ponto negativo, destacamos a falta de estrutura para turismo – não há sequer banheiros. Portanto, leve água (sempre!) e lanches, se estiver por conta própria.

Piedras Rojas tem uma diversidade de cores de encher os olhos: o azul do céu (lembre-se que quase nunca chove), o branco da neve no cume do vulcão Cainchique, o tom avermelhado das pedras e o verde do lago, ao mesmo tempo em que reflete as demais cores da estonteante paisagem.

E como dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, vamos deixar que as fotos digam o que não conseguimos expressar…

Em Janeiro de 2018, um canal de Televisão e um brasileiro resolveram filmar a prática de Kitesurfe nesta lagoa do Passeio das Piedras Rojas e, devido a isto, a área foi interditada para o turismo, ainda sem previsão de reabertura.

 

 

Lagunas Altiplânicas – Miscanti e Miñiques

As Lagunas Altiplânicas – Miscanti e Miñiques estão localizadas no caminho de Piedras Rojas, 40km antes, e dá para combinar facilmente em um único passeio. Para quem pensava que só encontraria no Atacama deserto, areia e salares, estes lugares surpreenderão muito.

As lagoas são de uma coloração azul impressionante em função da sua composição mineral, e refletem os vulcões com o cume coberto por neve, mesmo no início do outono. Ficamos imaginando como a vista seria ainda mais bonita na primavera.

Para entrar no parque das Lagunas é cobrada uma entrada de aproximadamente US$ 5 por pessoa. Há descontos para crianças e idosos. Encontramos banheiros limpos e sem fila neste ponto, mas nenhuma estrutura adicional. Vale a dica de levar água e lanches também, caso esteja por conta própria.

As agências normalmente combinam os dois passeios, incluindo o café da manhã ou lanche em um dos dois locais.  Cobram entre US$ 65 e US$ 125, dependendo do tipo de serviço e refeição oferecida. Este é só mais um exemplo da grande diferença de preços entre as agências. Vale a pena pesquisar bastante e negociar descontos para vários passeios.

 

Dia 3

Salar de Tara

Consideramos o Salar de Tara no Deserto do Atacama mais um passeio sensacional na região. Adoramos as paisagens, o contraste das cores em tons pastéis e as formações que levaram milhões de anos sendo esculpidas pela natureza.

Para quem quiser seguir a sugestão, o passeio demanda um dia todo e apresenta alguns desafios. O Salar de Tara fica a 4.300m de altitude, sendo só recomendado após uma adaptação de uns 2 dias na região para evitar o soroche (mal de altitude). Também fica na Reserva Nacional los Flamencos e não é cobrada entrada. Outro ponto a lembrar é que deve-se tomar bastante água para hidratar-se pela altitude e não há banheiro algum em todo o trajeto, ou seja, somente sanitários inca (atrás das pedras) novamente.

As agências cobram entre US$ 70 e US$ 130 (lanche e almoço inclusos), e acreditamos ser possível fazer de carro apenas se estiver com um 4×4 e for muito aventureiro. Dos 130 km que separam San Pedro do salar, os primeiros 100km são mais tranquilos e fáceis de acessar.

Uns 20km antes do final do trecho asfaltado, as operadoras param em um local muito bonito e alto para ajudar na adaptação e servir o café da manhã, o  Mirador Quebrada Quepiaco.

 

 

Viaje com Segurança

Viajar com um seguro viagem é imprescindível, mesmo em viagens nacionais. Alguns imprevistos não mandam sinais ( crise de cálculo renal ou apendicite) ou até um escorregão em uma escadaria. Todos estamos sujeitos a isto.

Com a Seguros Promo você contrata um seguro viagem nacional a partir de R$3,90/dia ou um seguro viagem internacional a partir de R$9,00/dia. São valores que não impactarão seu planejamento, mas permitirão que você viaje tranquilo.

Simule agora quanto irá custar seu Seguro Viagem e se surpreenda que sua segurança não irá pesar no seu bolso.

A Seguros Promo é uma comparadora de seguros que irá buscar a melhor oferta para o seu perfil e sua viagem.

 

Monjes de la Pacana

Logo na sequência do trajeto encontram-se os Monjes de la Pacana, também conhecidos como Moais do Atacama. É onde encontrará monumentos naturais em pedra vulcânica com mais de 20m de altura, esculpidos pelo vento durante milhões de anos. O mais impressionante assemelha-se ao rosto de um índio e é considerado o guardião do salar.

 

 

A partir deste ponto, o trajeto torna-se difícil e demanda muita habilidade do motorista, pois não há estrada ou demarcação do caminho pela pedras. Acreditamos que a melhor forma de prosseguir em carro próprio é seguir uma das muitas vans das agências que cruzam o deserto rumo ao salar. No caminho, nada além de cascalho, areia, rochas e vicunhas, ou seja, sem referências.

Catedrais de Tara

A próxima parada deve ser nas majestosas Catedrais de Tara e tirar fotos – muitas fotos. O resultado parecerá pintado em  aquarelas, em função dos tons pastéis. As cores vão do amarelo ao azul claro, passando por todos os tons de rosa.

A última parada é no salar propriamente dito, que reflete os vulcões a sua volta e atrai muitos flamingos. No inverno, há até um tour fotográfico na região para fotografar as aves que ficam presas ao salar congelado por alguns minutos.

 

 

É neste ponto que você se pergunta se está sem fôlego em função do ar rarefeito ou pela incrível paisagem a sua volta. Provavelmente, pela combinação dos dois fatores, mas apostaríamos na segunda alternativa.

Dentre as opções do Roteiro no Deserto do Atacama, o Salar de Tara também está fechado por motivos dúbios. Estivemos na região em Fevereiro de 2019 e nos foi informado que o acesso está fechado há 1 ano para a reprodução dos Flamingos

 

Dia 4

Geysers del Tatio

Por ser um dos passeios a altitudes mais elevadas, 4.320m, sugerimos que seja reservado para o último dia, quando seu corpo já estará mais habituado. Se você, como nós, não for uma pessoa matinal, este passeio será um duplo desafio. Pela dificuldade em dirigir na serrinha de acesso ao campo geotérmico e pela necessidade de chegar antes do amanhecer, recomendamos que o passeio aos Geysers del Tatio seja feito com uma agência local, que cobrará entre US$ 50 e US$ 75 por pessoa, incluindo o café da manhã.

Caso ainda não tenha usado, este passeio justificará o espaço ocupado em sua bagagem pelos gorros, cachecóis e luvas. Mas é realmente tão frio?  Muito!! Pelo horário e altitude do campo, as temperaturas no campo geotérmico costumam ser muito baixas. É comum estarem negativas antes do amanhecer e, por ser extremamente úmido, a sensação térmica é ainda mais baixa.

As agências marcarão de pegá-lo no hotel entre 4:30h e 5h. Apesar de ficar aberto o dia todo, os jatos d’água são mais intensos neste horário. Para quem não sabe, geysers (ou gêiseres, em português) são erupções presentes em poucos lugares do mundo, apenas em regiões vulcânicas. Ocorrem quando uma nascente de água entra em contato com a lava e ferve (nesta altitude, a 80oC), fazendo com que a água e o vapor jorrem, no caso deste campo, a até 12m de altura.

A maioria dos hotéis da região está acostumada com este ritual e oferece aos hóspedes a opção de um café da manhã para viagem. Na van, provavelmente o motorista irá sugerir que você durma durante o trajeto, que dura aproximadamente 1:30h. É mesmo a melhor opção: a serra é cheia de curvas, pista acidentada e o carro sacode pra todos os lados.

Visitando os campos geotérmicos

A entrada custa aproximadamente US$ 15 por pessoa e é adicional ao valor do passeio. O guia passará as orientações de segurança e o deixará à vontade para explorar e fotografar. É neste momento, quando o sol começa a iluminar os jatos d’água, que a magia acontece. O encanto do lugar rapidamente faz valer a experiência, o frio e as horas de sono a menos.

 

Gostou das dicas? Deixe seu e-mail e seja o primeiro a saber das atualizações e novos destinos do Suas Próximas Viagens. INSCREVA-SE AQUI

 

Há no campo geotérmico uma pequena piscina de águas termais, com temperaturas superiores a 30oC, que pode ser utilizada para banhos pelos visitantes. Se você se animar com a ideia, leve roupa de banho e toalhas. Contudo, lembre-se que estará muito frio e grupos de asiáticos e europeus rapidamente tomam o espaço.

O caminho de volta reservará algumas boas surpresas. A paisagem, encoberta pela noite durante a ida, é simplesmente incrível. Pequenos lagos, canyons e vulcões nevados faz valer a parada para mais fotos. Você conhecerá também a Boca del Diablo, um geyser localizado fora do campo geotérmico e que, ao invés de água, tem argila em ebulição, a estimados 200oC.

Uma parada tradicional no caminho de volta é no minúsculo vilarejo de Machuca, explorado por duas famílias que se revezam para oferecer algumas comidas típicas e artesanato aos visitantes. Entre os petiscos, espetinhos de lhama e empanadas de queijo de cabra fazem a festa dos visitantes.

 

Dia 5

Termas de Puritama

O complexo de águas das Termas de Puritama é o programa ideal para o último dia de passeio, pois  permite relaxar de todas as caminhadas e eventuais trekkings da viagem. Além de desestressar pela temperatura agradável, as águas são muito ricas em sais minerais e atenuam sintomas de várias doenças, de sinusite a dores reumáticas.

É um lugar incrível localizado no meio de um belo cânion, com piscinas a 500m abaixo do estacionamento. Se você for com agências, a van o deixará na entrada, mas se estiver por conta própria, como nós, prepare-se para a subida ao final do passeio. A vista compensa, pois as piscinas são interligadas entre si por pequenas cachoeiras, protegidas por milhares de capins dos Pampas e um deck de madeira vermelha interligando todos os espaços.

As termas oferecem boa estrutura aos visitantes, com espaço para lanches, banheiros, vestiários e armários para guardar bolsas e outros pertences. Lembre-se de levar um cadeado, além de toalha, chinelo e protetor solar.

As piscinas termais

As termas são compostas por 8 piscinas naturais de águas quentes. A primeira é a que oferece melhor estrutura, com mesas de apoio e cadeiras tipo espreguiçadeira para os visitantes. Entretanto, dependendo do dia e horário, pode estar restrita a grupos fechados de resorts ou agências locais. Estávamos por conta própria e não pudemos acessá-la quando chegamos, mas em nada diminuiu nosso encanto. A água é cristalina e a temperatura ao redor de 34 graus. Então mesmo indo cedo, quando a temperatura ambiente ainda está elevada, relaxar nesta água quentinha é uma delícia.

A entrada custa aproximadamente US$ 27 entre 9h e 14h e US$ 18 a partir deste horário, com descontos para crianças e idosos. Apesar dos valores, fomos pela manhã e, pelo que pesquisamos, este é o melhor horário. Tivemos a liberdade de experimentar todas as piscinas (com exceção da primeira) e estavam bem tranquilas. Como muitas agências combinam este com outros passeios, é comum lotar no período da tarde. Saímos pouco depois das 14h, quando começou a aumentar o movimento. Se tiver disponibilidade de tempo, recomendamos muito que inclua este passeio em sua viagem ao Atacama.

 

Roteiro no Deserto do Atacama – Complementar

Se você tiver tempo, conseguir se programar com antecedência e curtir admirar as estrelas, há alguns outros passeios legais para aproveitar.

Tour Astronômico no Atacama

Há alguns passeios e programas que permitem conhecer um pouco mais sobre a beleza do Céu do Deserto do Atacama e o que isto significa para o mundo todo. Vale a pena se planejar para alguns destes. Há passeios diurnos e noturnos, contudo requerem agendamento com antecedência. Veja no artigo, clicando na foto, as sugestões detalhadas.

 

Céu Estrelado no Roteiro de 5 dias no Deserto do Atacama
Céu Estrelado

Seguir a ordem sugerida acima é recomendável por já considerar a ambientação com a altitude.

 

Uma viagem ao Deserto do Atacama tem algum risco devido à altitude. É sempre bom viajar com um Seguro Viagem para se Proteger. A Seguros Promo irá te oferecer opções que se encaixam com a sua necessidade.

 

Como comentamos, recomendamos alugar um carro e fazer quase todos os passeios por conta própria. Este estilo de viagem permite explorar os destinos de acordo com seu ritmo e preferênciêa de horários. Parar pela estrada ao avistar uma paisagem bonita e ter a flexibilidade de ficar quanto tempo quiser pode fazer muita diferença.

Link Rentcars Suas Próximas Viagens

 

 

Se você conseguir mais 4 dias para um passeio sensacional, sugerimos incluir em seu Roteiro no Deserto do Atacama conhecer o Salar de Uyuni na Bolívia. Na 1a vez que fomos para o Atacama, não tivemos a oportunidade de fazê-lo, mas realizamos na ocasião de 2019. Recomendamos muito.

Veja nosso relato do que foi esta experiência neste post abaixo.

Salar de Uyuni – Guia Completo 2019

 

Esperamos que você aproveite! Leia também nossas recomendações sobre onde se hospedar em San Pedro. Se você já foi ao Atacama, comente abaixo dizendo se concorda com nossas sugestões ou se incluiria algo mais.

Veja nossos outros posts do Deserto do Atacama.

Para lhe ajudar em sua programação de viagem, no post Guia completo – Deserto do Atacama descrevemos a região e damos dicas sobre como e quando ir, o que fazer, o que levar em sua viagem e onde comer. Para saber mais, click na foto.

 

Deserto do Atacama – Guia Completo 2019

 

 

 

 

 

 

Onde Ficar em San Pedro de Atacama

 

 

 

 PLANEJANDO SUA VIAGEM 


Planeje sua viagem através do Suas Próximas Viagens. Nossos Parceiros são os mais conceituados do mercado, oferecem serviços de qualidade e são referência em suas áreas.

Nós frequentemente usamos estes serviços em nossas viagens e recomendamos. Em muitos artigos, deixamos de mencionar diversas empresas, pois não tivemos boas experiências com elas. Nosso objetivo é ajudar você a planejar suas próximas viagens para que sejam sensacionais!

 
  • HOSPEDAGEM →  Você encontrará as melhores opções através do booking.com 
  • PASSAGEM AÉREA →  Pesquise e Compre Passagens aéreas com a Kayak 
  • ALUGUEL DE CARRO →  Alugue um carro com facilidade e segurança na rentcars.com 
  • SEGURO VIAGEM → Viaje mais tranquilo e com segurança contratando Seguro Viagem  

10 Comments

  1. Helenton Candido Fernandes

    parabéns Adriano, seus comentários esclareceu algumas dúvidas que eu tinha, estou indo para lá dia 26/12/17 ainda estou preocupado em questão do combustível pois vou com uma frontier e tem que ser diesel aditivado o s10 e lá em San Pedro o posto de gasolina será que vai ter este combutível?

    • Helenton, fico com um pouquinho de inveja de você :D. Adoraria estar voltando para o Atacama. Semana atrás, quando postou sobre sua dúvida quanto ao combustível, nosso colega viajante Eduardo Pacheco (edupacheco1981@gmail.com) respondeu rapidamente que sim. Ele estava em San Pedro no exato dia que você perguntou e ele confirmou que o Diesel é o aditivado. Agora so falta o Eduardo nos contar como foi sua viagem.
      Aproveite muito sua viagem e depois compartilhe conosco mais alguma dica ou se as nossas foram boas para você. Grande abraço e boa viagem!!

  2. Mas gente, esse roteiro está maravilhoso! Se soubesse tinha seguido ele na minha viagem ao Atacama! Sem contar que vocês ARRASAM nas fotos, né? Tô babando por essa do céu estrelado até agora! Parabéns pelo post, Adriano e Sil! <3

    • Amanda, muito bom receber sua visita e elogios. Vindo de quem admiramos e conhece o lugar, conta em dobro! Dá a certeza de estarmos no caminho certo e trazendo informações relevantes para nossos leitores. Adoramos seu artigo sobre o Salar de Uyuni e esperamos seguir suas dicas em breve, quando visitarmos o local. Um beijo

  3. Olá, boa tarde

    Adorei a idéia da locação do carro e queria uma orientação. Você acha mais viável locar o carro em Calama, entregar em San Pedro e deixar o último passeios para fazer com as agencias ou melhor locar em San Pedro mesmo. Caso seja a última opção, qual transporte sugerem para ir de Calama para San Pedro.
    Vi que existem ônibus que fazem o trajeto a preços bem baixos. Vc sabe se são seguros? Qual a melhor opção…
    Obrigada e parabéns pela iniciativa, com certeza nos sentimos muito mais seguros em conhecer um lugar novo quando dispomos de tantas informações.

    Kadja Leite

    • Kadja,

      Muito obrigado pela visita a nosso blog. Esperamos que tenha achado as informações que lhe motivaram ainda mais para ir a este destino maravilhoso. Quanto ao aluguel do carro, normalmente as empresas cobram uma taxa adicional por entregar o carro em um local diferente de onde iniciou o aluguel. Desta forma deverá considerar esta taxa, mais os transfers na ponta do lápis para ver se vale a pena. A região do Atacama é muito bonita e, ter a flexibilidade do automóvel irá lhe permitir não restringir-se aos passeios das Agências de Receptivo. Nossa sugestão é tomar o carro em Calama e devolvê-lo também lá quando for embarcar de volta. Desta forma, terá toda a mobilidade necessária. Até para visitar algumas lojas na cidade, caso não vá passar um tempo em Santiago na volta.

      Esperamos que aproveite muito sua viagem e depois compartilhe conosco sua experiência. Um grande abraço

  4. Olá! Boa dica a de alugar carro!
    Teve algum passeio que realmente sentiram falta de informações de guia?
    Talvez soe preconceituoso, mas é melhor perguntar… Em algum momento nos passeios, vocês foram “incomodados” pelas agências por estarem em veículo próprio,ou seja, não usando o serviço deles?

    • Eduardo, as agências fazem de tudo para lhe agradar 🙂 Foi uma ótima surpresa o quão amáveis eles foram. Você não precisa necessariamente fazer os passeios com eles. Recomendamos que o faça ao menos para o Salar de Tara e Geysers del Tatio, pois são bem distantes e os caminhos não estão no Google Maps. Nos demais você pode fazer por conta, estando de carro, no seu ritmo, aproveitando de forma diferente. Os guias são divertidos e contam muitas histórias e estórias :), mas você ficará restrito ao tempo e destinos do grupo. Tiramos fotos lindas do trajeto a muitos dos passeios pois a região toda é sensacional. A única ressalva quanto ao carro, é encontrar um hotel que tenha estacionamento, pois vagas são muito restritas em San Pedro e poderá ter problemas de onde parar o veículo. Para escolher uma agência, fizemos o passeio mais simples e próximo com eles, Valle de La Muerte, para ver se gostávamos da estrutura e simpatia, para depois fecharmos os dois mencionados acima. Os demais fizemos sozinhos no nosso tempo.

  5. Olá, tudo bem? Adorei suas dicas, porém gostaria de saber qual a melhor época para ir ao Atacama?

    • Giovana, muito obrigado pelo feedback. A melhor época vai depender um pouco do que você desejar aproveitar por lá. Principalmente neste ano que o inverno foi bem rigoroso, cobrindo muito da paisagem com neve. Entre o final da Primavera e o começo do Outono, você terá as temperaturas mais amenas. Contudo, a temperatura oscila MUITO no Atacama, dependendo do roteiro que irá fazer devido a altitude de alguns deles. Nos passeios mais elevados, Geysers del Tatio e Salar de Tara, você pegará temperaturas baixas até no Verão, entretanto irá passar muito calor em San Pedro de Atacama. Nós estivemos agora em Março, final do verão, e ainda pegamos neve no pico dos vulcões conforme você pode observar nas fotos. Esperamos que aproveite por lá. Nós adoramos!!!